• Carolina Rocha

Sustentabilidade e ESG: o que são?


Pessoa segura na mão direita, ao lado do corpo, um globo terrestre em que a face com a América Latina está de frente para a câmera. Ela está em uma grande área verde e aberta, iluminada pelo sol do entardecer.

Quando nos deparamos com a história de uma empresa ou instituição, encontramos passagens nas quais ela, já madura, começa a se preocupar com a sua parcela de responsabilidade para com a sociedade e o planeta.


Eventos de Semana do Meio Ambiente, utilização de energias limpas e renováveis, investimentos em educação nas comunidades próximas, implantação de Governança Corporativa são alguns episódios que compõem a trajetória das organizações e que estão ligados a uma temática cada vez mais em pauta: a Sustentabilidade.




Qual a diferença entre ESG e Sustentabilidade?


ESG é a sigla para Environmental, Social and Governance, em português traduzida para ASG – Ambiental, Social e Governança. As duas formas são utilizadas pelas empresas brasileiras e sinalizam três aspectos e seus riscos que devem ser considerados tanto na tomada de decisão quanto na gestão de suas rotinas. A sigla tornou-se popular a partir da publicação “Who cares wins” (Quem se importa ganha), realizada pelo Pacto Global da ONU e o Banco Mundial, em 2005, e endossada por instituições financeiras de todo o mundo. O documento fornece recomendações sobre como as questões ambientais, sociais e de governança devem ser integradas às diferentes ações e serviços das organizações do setor.


Já a Sustentabilidade é um termo mais amplo. Além de considerar os aspectos ambientais, sociais e de governança, o conceito moderno de Sustentabilidade tem foco no pensamento estratégico das companhias, considerando a geração de impacto na sociedade e no mundo. Mais do que avaliar os riscos envolvidos no negócio, a Sustentabilidade coloca o foco nas oportunidades para a transformação, considerando os múltiplos stakeholders, ou seja, as partes interessadas, de cada organização.


Em uma paisagem rural, diversos geradores de energia eólica espalhados pelo campo, com o céu nas cores do entardecer.



Dados para compor um histórico

Itens de higiene, como escova de dentes e sabonetes, e produtos de maquiagem sustentáveis, elaborados em madeira e embalados em papelão reciclável.

As empresas que consideram os aspectos de ESG ou de Sustentabilidade precisam ter atenção na apuração e compilação das informações e dados que demonstram as atividades da organização ao longo de um ciclo. Ao reunir essas informações e apresentá-las em um relatório anual, social, de gestão ou mesmo de Sustentabilidade, é possível criar um acervo de iniciativas desenvolvidas ao longo dos anos.


Por exemplo: uma empresa que, em seu relatório de gestão, apresenta o desempenho financeiro e econômico do ano, os investimentos realizados em infraestrutura, as formas como capacitou sua equipe, o perfil dos colaboradores, o seu portfólio de produtos ou serviços e as iniciativas de responsabilidade social e ambiental, tem boa parte de sua história já registrada.

Este processo permite não apenas o acompanhamento da evolução a cada ciclo, mas um apanhado do desenvolvimento e investimentos realizados no momento de elaborar uma publicação sobre a história da empresa.




Como integrar a Sustentabilidade ao seu empreendimento


Você já deve ter visto, ouvido ou lido em algum lugar a expressão “empresa sustentável”. Para alcançar esse objetivo é muito importante considerar todos os aspectos envolvidos no seu negócio e como ele impacta a sua região.


Para isso, são diversas as consultorias, em geral do segmento ambiental, que realizam diagnósticos para verificar quais as adaptações e ações necessárias para que o empreendimento seja considerado uma empresa sustentável. Essas iniciativas vão desde a implantação da coleta seletiva de resíduos, o uso de materiais reciclados, o tratamento de efluentes e a coleta de água da chuva, até a compensação da pegada de carbono e a utilização de energia renovável, como a solar.


Além de inserir essas práticas na organização, é fundamental comunicá-las ao mercado, por meio dos relatórios de sustentabilidade. As consultorias podem ainda indicar a adoção de normas internacionais, como Global Reporting Initiative (GRI) Standards, Sustainability Accounting Standards Board (SASB), Task Force on Climate-Related Financial Disclosures (TCFD), International Integrated Reporting Council (IIRC), também conhecido no Brasil como Relato Integrado, ou mesmo as mais conhecidas ABNT NBR ISO 14001, ou os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).


Quadro explicativo com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU