• Denise Waskow

Por que contar a história da empresa?

Atualizado: Jul 22


Todos nós temos momentos desafiadores na vida, episódios difíceis e conquistas importantes. O mesmo vale para as empresas: sabe aquela marca que você consome, admira e acompanha? Ou, até mesmo, a empresa que você criou e para a qual trabalha? Certamente, o que elas têm em comum é que, ao longo do tempo, passaram por acontecimentos que as tornaram o que são hoje.


E qual é a importância de olhar para essa trajetória e mantê-la viva? As respostas vão desde o registro de pioneirismo em processos, produtos ou serviços até um posicionamento estratégico cada vez mais vital: o de criar e aprofundar conexão com o público. É sobre todos esses aspectos que vamos tratar ao longo do texto.


Pessoas em uma feira de roupas conversando entre si em pequenos grupos, em frente aos estandes.


Um relato histórico

Rua movimentada no centro de uma cidade. Grandes prédios modernos e empresariais, construídos em vidros e espelhados, ladeiam a avenida.

A história de uma empresa vai muito além dos limites de suas instalações e dos clientes com quem se relaciona. Pense, por exemplo, nas mudanças que a abertura de uma indústria costuma provocar em determinada região, reunindo em seu entorno uma série de outras estruturas. Há até mesmo cidades inteiras organizadas em função de um empreendimento.


Outra contribuição histórica fundamental é o registro de desenvolvimento de produtos ou serviços inovadores, e a adoção de novas tecnologias e métodos de trabalho. Entender como a empresa se adaptou às mudanças de processos e ferramentas revela características como pioneirismo e flexibilidade, além de construir um panorama de diferentes épocas.



Demonstração de resiliência


Uma empresa revela solidez na gestão e resiliência diante das adversidades ao demonstrar que é capaz de superar crises econômicas, políticas e conflitos variados. Para isso, não é preciso ter tanto tempo de existência: o recente cenário da pandemia de Covid-19 está exigindo uma enorme capacidade de reinvenção de muitos negócios. E são diversos os casos de sucesso que merecem ser registrados.

Dois homens sentados em frente à mesa e a seus notebooks. Apontam para anotações em papéis sobre a mesa.

Aquelas instituições que já têm décadas de história e permanecem relevantes são exemplos de como evoluir em conjunto com os interesses e as necessidades dos clientes. As estratégias certeiras adotadas por elas permitiram enfrentar cenários desafiadores e manter-se competitivas em meio a mercados cada vez mais exigentes.




Reconhecimento à equipe


Um outro motivo para contar a história da empresa é o de dar reconhecimento a pessoas que contribuíram de modo essencial para o sucesso do negócio. Apesar das mudanças no perfil profissional, ainda são muito comuns os casos de colaboradores que construíram toda a sua carreira em uma mesma organização. Ou aqueles que, em um curto período de tempo, promoveram mudanças que trouxeram impactos muito positivos.


Sala de reuniões com as paredes brancas. Um homem e duas mulheres estão em volta da mesa com seus notebooks e anotações. Eles observam um homem em pé que fala e aponta a tela do computador. Papéis coloridos com anotações estão colados na parede ao fundo da sala.

O reconhecimento dado a essas pessoas e a toda equipe também é uma forma de disseminar os valores da empresa entre diferentes gerações. Permite, inclusive, referenciar e compartilhar conhecimentos consolidados ao longo do tempo, que ainda são relevantes no dia a dia, e dos quais, muitas vezes, não se sabe a origem. Eles podem estar na ideia apresentada por um colega há 30 anos, que transformou um processo de trabalho.



Conexão com o público


Registrar a trajetória e os atributos que demonstram o êxito de uma empresa só faz sentido se permitir torná-la mais próxima do seu público. Os consumidores não buscam apenas produtos e serviços: querem conexão, marcas com as quais se identifiquem e nas quais possam confiar. Há até uma palavra específica para definir a construção de uma narrativa que auxilie a atingir esse propósito: storytelling.


Trata-se de um método que visa envolver e engajar a audiência. Para ter sucesso, ele precisa estar ancorado em relatos e personagens autênticos, que só são descobertos por meio de pesquisas e entrevistas comprometidas com o rigor das informações. Bem empregado, esse conjunto de técnicas permite contar a história da empresa com qualidade, relevância e excelência em resultados.

"Coragem, trabalho e inovação: a vocação empreendedora da família Bettanin" é um ótimo exemplo de história da empresa. Neste livro registramos os principais momentos da trajetória da InBetta, que teve início em 1947, com uma pequena fábrica em Porto Alegre (RS), e hoje tem seus produtos presentes no dia a dia dos brasileiros e em mais de 50 países. Neste post você encontra mais detalhes sobre o projeto.