• Denise Waskow

O que é escuta ativa e como ela nos ajuda a contar histórias

Atualizado: Jul 22


Duas mulheres sentadas próximas de uma janela, lado a lado, olhando-se de frente, conversando e sorrindo. A mulher da esquerda segura um notebook. Ao fundo é possível ver as janelas de outro prédio.

Sabe aquela conversa franca, sem interrupções, em que você se sente confortável para falar porque a outra pessoa demonstra que está interessada, de verdade, no que você tem a dizer?


Essa sensação de acolhimento e respeito é um dos frutos da escuta ativa, uma técnica de comunicação que utilizamos na Palavra Bordada. Neste texto, vamos dividir com você como aplicá-la no dia a dia e colher os seus benefícios nas relações pessoais e profissionais.



Ouvir e escutar têm diferenças


Não é bastante ter ouvidos para se ouvir o que é dito. É preciso também que haja silêncio dentro da alma.

A frase de Rubem Alves, presente na crônica “Escutatória”, que integra o livro “O amor que acende a lua”, de 1998, resume de forma sutil como ocorre o processo de coleta das informações e relatos na Palavra Bordada. Afinal, ouvir e escutar são coisas diferentes.


Pela definição do dicionário Houaiss, ouvir é o ato de perceber um som. Já escutar demanda a consciência no ato, ou seja, prestar a atenção e esforçar-se para ter clareza do que se ouve. Assim, é possível apenas ouvir o som de uma música, mas ao escutá-la buscamos a sutileza de cada acorde para identificar características, significados e intenções em cada nota.



Sem julgamentos ou comparações


Para que exista silêncio na alma é fundamental que quem se dispõe a escutar esteja despido de si. Isso significa evitar julgamentos ou comparações. Sua função é escutar e, se dessa escuta surgirem perguntas, contrapontos ou reflexões, aguardar para apresentá-los no momento oportuno do diálogo.


Quem está com a palavra, por sua vez, se sente respeitado ao ver que está diante de alguém que o escuta ativamente. E, assim, tende a relaxar, confiar e se sentir em um espaço de diálogo seguro. Além disso, é importante estar aberto para escutar os silêncios, as hesitações e as palavras que falam mais alto quando calam do que quando são proferidas. Observar gestos e posturas, para enriquecer as interações e o processo de comunicação, também faz parte do processo de escuta ativa.


Duas mulheres sentadas em um sofá, lado a lado, olhando-se de frente e conversando, em um ambiente casual, com luz natural e plantas.


Como aplicar a escuta ativa no dia a dia


Os pensamentos acelerados e as tecnologias que nos cercam são fonte constante de distração. E podem ser o primeiro obstáculo para a escuta ativa. Então, preparamos seis dicas para ajudar você a exercitar essa habilidade:


  1. Deixe o celular fora do seu alcance (se for uma emergência, vão ligar e você vai ouvir). Caso tenha de mantê-lo perto, coloque-o no modo avião.

  2. Se achar necessário, tenha papel e caneta à disposição para tomar pequenas notas e ajudá-lo a manter o foco na conversa.

  3. Escute com o corpo inteiro: a comunicação não-verbal é fundamental. Portanto, faça sinalizações afirmativas com a cabeça enquanto a outra pessoa fala, para confirmar que está compreendendo; mantenha contato visual constante; sorria quando houver essa necessidade de interação; e evite cruzar os braços e adotar uma postura mais fechada. Observe também esses mesmos gestos no seu interlocutor, o que pode auxiliar a compreender sentimentos e impressões sobre os temas tratados.

  4. Permita que a pessoa conclua o raciocínio completo, no tempo que for necessário, e só então comece a falar.

  5. Faça perguntas que ajudem a esclarecer algum ponto específico que suscitou dúvidas. Se quiser ampliar a abordagem, opte por questionamentos abertos, em que a resposta não seja apenas “sim” ou “não”. Utilizar “o que”, “por que” e “como” no início das perguntas é um modo de estimular o diálogo.

  6. Ao final de cada temática ou da conversa como um todo, forneça um feedback para quem falou. Faça pequenas sínteses orais do que foi dito, para se certificar de que você compreendeu os principais pontos.

Duas mulheres sentadas frente a frente, a uma mesa, conversando, ao lado de uma janela de vidro, pela qual entra luz natural.


Os benefícios da escuta ativa


Tornar essa técnica de comunicação uma prática cotidiana pode promover muitos benefícios nas relações pessoais e profissionais. Com o tempo, você percebe que consegue desenvolver inúmeras habilidades importantes, entre elas:


  • Ser mais empático e aprender a se colocar no lugar do outro;

  • Evitar julgamentos e posicionamentos preconceituosos;

  • Discordar sem gerar conflitos ou desentendimentos;

  • Focar nos assuntos relevantes ao longo de uma conversa;

  • Estimular a produtividade em um trabalho de equipe;

  • Aprofundar laços e estabelecer relações de confiança;

  • Desenvolver a capacidade de concentração.


Em um entardecer, à sombra de uma árvore, localizada à direita da foto, duas pessoas estão sentadas conversando. Aparece somente a silhueta delas, demarcada pela luz do sol.


Na Palavra Bordada, a escuta ativa é uma ferramenta que nos ajuda a contar histórias com leveza e profundidade, pois é a base das entrevistas com os personagens dos nossos livros. Por meio de um diálogo acolhedor, atento e pautado no respeito, damos o primeiro passo para a valorização das memórias pessoais e das trajetórias de empresas.