• Maribel Lindenau

Revisão de texto: o que é e para que serve

Atualizado: Jul 22


Você sabia que absolutamente tudo é passível de revisão de texto? Toda a peça, seja impressa ou digital, que contém algo escrito e que será publicada ou divulgada, deveria passar por uma revisão textual.


Como exemplos podemos citar: livros, revistas, trabalhos acadêmicos (artigos, TCCs, dissertações e teses), jornais, folders, relatórios, manuais, catálogos, anuários e até cardápios etc. Todos eles são fortes candidatos à revisão. Entretanto, para livros, revistas e trabalhos acadêmicos a revisão é indispensável. Não é à toa que estes são os materiais mais revisados.


Ao final deste texto você irá entender o que faz um revisor e por que essa profissão é tão importante, apesar de não ser muito badalada.

Prateleira com revistas de diversas temáticas.


O que é revisão de texto?

Mão de homem segurando uma caneta, está sobre uma folha de papel com texto impresso. Ao fundo uma pilha de papéis.

É um processo de melhoramento do texto. Ela serve para corrigir erros de qualquer natureza, sejam eles de sintaxe, de ortografia, de pontuação, de digitação ou de gramática. Porém, não é só isso que se faz numa revisão de texto. Reescrever um parágrafo ou frase, corrigir repetições de palavras e expressões também são tarefas do revisor.


A função primordial de uma revisão de texto é evitar que o leitor faça releitura por não entender o que está sendo apresentado. A pior coisa que pode acontecer é um leitor dizer que não entendeu o que acabou de ler porque o texto estava mal escrito ou mal corrigido.



O profissional da área

Parede ao fundo azul. Mulher ruiva usando óculos lê um livro que segura apenas com a mão direita. Ela veste camisa branca e uma pulseira de fita de couro.

Normalmente, a profissão de revisor é exercida por pessoas formadas em Letras ou Jornalismo, mas não só. Hoje em dia já existem profissionais com outra formação, que possuem pós-graduação em revisão textual e estão atuando. Por não ser uma profissão regulamentada, os revisores costumam trabalhar como prestadores de serviços.


Uma revisão de qualidade vai além de consultar dicionários e gramáticas. Um bom revisor precisa ser conhecedor de diversos tipos de textos, tais como: técnicos, científicos, acadêmicos, comerciais, literários, entre outros. E, somado a isso tudo, ele precisa saber respeitar as características de estilo de cada autor/a e/ou editora.


No caso de editoras, normalmente elas possuem o próprio Manual de Estilo. Ou seja, o profissional precisa estar atento a tudo o que já foi citado anteriormente e também seguir o estilo de seu cliente, seja ele editora ou autor/a.



Quanto custa uma revisão de texto?


A forma mais comumente utilizada para cobrar esse serviço é a lauda (conjunto de caracteres, incluindo espaços e sinais de pontuação, com determinado número de toques). No Brasil não há um tamanho padrão de lauda estabelecido. Em geral, ela varia de um mínimo de 1.250 caracteres ao máximo de 2.100. O tamanho mais adotado pelos revisores é de uma lauda de 1.400 caracteres com espaço. Assim como os tamanhos, os valores também variam. Os preços giram em torno de 7,00 a 30,00 reais por lauda, dependendo da complexidade e da urgência de cada demanda. Cada revisor determina o valor e o tamanho de sua lauda para fazer a cobrança.


Se você está pensando em atuar como revisor/a, lembre-se que este é um trabalho quase anônimo, de bastidores, e o seu nome só irá aparecer no expediente (página de créditos) do material, quando houver um.



Importância de uma boa revisão de texto


Dica: nunca, jamais, confie no corretor do Word! , pois ele é uma máquina e por isso, nem sempre, tem a correta interpretação do sentido que você pretende dar ao usar determinada forma de escrita ou pontuação. É excelente para sinalizar erros de escrita, espaçamento e duplicidades. Mas nada substitui o conhecimento e a prática do profissional.


A seguir, apresentamos um texto que não contém nenhum erro (segundo o corretor), porém não apresenta clareza e concisão. Tente ler!


Print do aplicativo Word aberto, com folha branca e texto com marcações.

Tanto na Palavra Bordada, quanto no Quatorze VinteUm, nunca abrimos mão de uma revisão de texto feita por profissional, pois apesar de fazermos edição e preparação dos textos, há a exigência do conhecimento específico de regras gramaticais que os revisores têm melhor domínio.


Além disso, no meio editorial, é sabido que o “olho vicia”. Em outras palavras, o texto já foi tão lido e trabalhado que, em certo momento, tanto o/a autor/a quanto a editora não enxergam mais erros de ortografia ou concordância, ou mesmo de estrutura e concisão.

Por isso, ter um olhar especializado e sem contato anterior com o material, é fundamental para a identificação dessas incorreções e dos pontos que podem ser melhorados, a fim de que o texto seja compreendido com clareza pelos leitores.



Os escritores morrem de medo dos revisores!


Essa frase é uma brincadeira, gente!


Na verdade, muitos escritores têm um certo receio (pé atrás) com o revisor. Nem sempre eles lidam bem com as correções aplicadas.


O autor Luiz Fernando Veríssimo, em sua crônica “Cuidado com os revizores” retrata, de forma bem-humorada, esse “tal receio”, mas principalmente, apresenta o grande valor que o profissional de revisão de texto tem. Confira um trecho: “A inclusão ou omissão de uma letra ou vírgula no que sai impresso pode decidir se o autor vai ser entendido ou não, admirado ou ridicularizado, consagrado ou processado. Todo texto tem, na verdade, dois autores: quem o escreveu e quem o revisou.”


Ficou curioso para ler o restante? Então, clica aqui e acessa a crônica completa, que foi publicada originalmente na revista VIP Exame em março de 1995 nas páginas 36 e 37.


E se você tem um texto que precisa ser revisado, não perca tempo, entre logo em contato com um profissional!