• Maribel Lindenau

Como conseguir um agente literário?

Atualizado: Jul 22


Assim como qualquer outro agente, como, por exemplo, os de viagens ou de artistas, o agente literário é aquele que faz a intermediação entre escritores e editoras tradicionais.



O que faz?


O agente literário é responsável por orientar seus agenciados sobre qual editora é a mais indicada para o seu trabalho e fazer a apresentação deste. É, também, responsabilidade dele negociar contratos e representar o autor, além de ajudá-lo a gerenciar sua carreira.


Um escritor agenciado pode contar ainda com aconselhamento e serviços jurídicos sobre as melhores práticas de negociações de sua obra, tanto para publicação quanto para adaptação para audiovisual (cinema, teatro, televisão etc.), audiolivro e até mesmo para tradução.


Outra função do agente é auxiliar seus agenciados na relação com a imprensa. Portanto, um agente literário é um mediador.


Duas mulheres sentadas a uma mesa de trabalho, lado a lado, em ambiente corporativo, em frente a alguns documentos. Uma delas manuseia os papeis e a outra faz marcações com uma caneta


Qual é a sua atuação?


Existem agentes e agências literárias especializadas em diversas áreas. Algumas se dedicam a colocar nas editoras autores nacionais, outras em negociar os direitos autorais só para o exterior. A maioria delas agencia obras de ficção e não-ficção, mas algumas podem ter interesses em determinados gêneros, como infantil, infanto-juvenil, fantasia, terror ou ficção científica.


Também podem ser agentes literários os responsáveis por cuidar dos direitos autorais de obras de escritores consagrados e já falecidos, mas que ainda não estejam em domínio público, como, por exemplo, Érico Veríssimo e Jorge Amado.



Como conseguir um agente?


Da mesma forma que uma editora, uma agência literária pode receber muitos originais não solicitados e vários pedidos de agenciamento. Porém, o buraco é mais embaixo.

Mulher sentada em frente a uma escrivaninha de trabalho, fazendo anotações em uma agenda. À sua frente, uma tela de computador, uma miniatura de máquina de escrever, um porta-papeis de acrílico e um pequeno vaso de planta ornamental

Inicialmente você precisa pesquisar a agência que melhor irá representar seu tipo de trabalho, ou seja, é necessário consultar o catálogo dela. Pois não adianta tentar um agenciamento com representante que está focado em vender os direitos autorais para tradução se você nem é conhecido ainda dentro do próprio país.


Algumas agências trabalham com submissões e abrem períodos específicos do ano para receber propostas de originais que serão avaliados. Outras só aceitam escritores com indicação ou recomendação de um autor já agenciado.


Dificilmente uma agência irá trabalhar com um autor iniciante, a não ser que o seu nome seja relevante no mercado, como é o caso de atores conhecidos do público, atletas, músicos ou empresários de renome. Ou seja, a rede de contatos e de influência impacta no interesse do agente em representá-lo.


Existem alguns “pré-requisitos” para conseguir um agenciamento, tais como:

  • Uma excelente carta de apresentação e um book proposal (no Google você encontra modelos de ambos);

  • Envio da sinopse ou obra completa (depende da agência);

  • Perfil do autor apresentando sua experiência literária e que seja relevante (livros publicados, artigos, reportagens, prêmios literários recebidos ou que tenha sido finalista, plataforma de leitores etc.);

  • Contratação de um análise/leitura crítica (talvez essa seja a forma mais indicada para abrir portas, pois o agente poderá perceber o potencial da obra).



Como os agentes são remunerados?

Tabuleiro de xadrez sobre mesa de madeira. As peças pretas e brancas estão misturadas e intercaladas, nas duas fileiras de cima e nas duas fileiras de baixo.

Em geral, recebem um percentual do adiantamento (também conhecido como advanced) pago pela editora, antes da publicação da obra, ou quando são repassados os valores referentes aos direitos autorais sobre a venda do livro. Esse percentual é acordado entre o escritor e a agência, e varia entre 10% a 30%.


Ao contrário de advogados, por exemplo, via de regra, o agente não cobra taxa de representação, de edição ou de leitura crítica de seus agenciados. Sua remuneração só acontece quando os contratos de publicação são assinados. Sendo assim, a contratação de um agente não envolve valores pré-definidos e pagamentos mensais. Logo, este é mais um fator pelo qual os agentes literários são tão seletivos quanto às representações que irão fazer.


Alguns agentes também oferecem a obra para adaptação ao cinema, televisão ou canais de streaming e são remunerados apenas quando essas negociações são concluídas.



Vantagens e desvantagens


Entre as vantagens podemos destacar: a chance ampliada de conseguir uma contratação por editora tradicional, a segurança de assistência nas questões jurídicas do direito autoral, o possível recebimento de um adiantamento de royalties e a orientação de carreira.


Talvez a principal desvantagem seja o fato de que não adianta ser iniciante. Por melhor que seja o escritor ou a obra, é preciso desenvolver um trabalho de excelência e encarar a escrita como profissão. Ou seja, há um caminho longo de aperfeiçoamento a ser trilhado antes de poder bater à porta de uma agência.



Resumindo

Caneca branca, com a frase "Think Creative, Work Effective", escrita em letras vermelhas maiúsculas. A caneca está em uma caixa vermelha, sobre um fundo de papeis.

Não é fácil, mas é possível! Para conseguir um agenciamento, trabalhe duro para amadurecer sua escrita, incrementar sua plataforma de leitores e construir um portfólio. Com estes requisitos atendidos poderá buscar uma agência para te representar junto a grandes e médias editoras.


E, se você quiser entender como funciona o trabalho de um agente, indicamos o seriado Dix pour Cent, disponível na Netflix. O trabalho na fictícia agência ASK é voltado a roteiristas, diretores e atores para TV e Cinema, mas dá um gostinho de como os agentes trabalham para colocar os agenciados nas melhores produções.



Relação de agências no Brasil


Diferentemente do exterior, no Brasil ainda temos poucas agências literárias e um pequeno número de editoras tradicionais (em média, 800) para um universo gigantesco de autores experientes ou iniciantes.


Deixamos logo a seguir uma relação das agências mais conhecidas. Convém acessar cada um dos sites e dedicar um bom tempo de análise se você está pensando em conseguir um agenciamento.


Agência Riff – https://www.agenciariff.com.br/

Authoria – Agência literária e Studio – https://authoria.studio/

Increasy Consultoria literária – http://increasy.com.br/

MAGH Agência literária – https://agenciamagh.com.br/

MTS Agência de autores – https://www.mtsagencia.com/

O agente – https://www.oagenteliterario.com.br/

Oasys Cultural – https://oasyscultural.com.br/

Página 7 Agência literária – http://agenciapag7.com.br/

Villas Boas & Moss – https://vbmlitag.com.br/